Quando uma flor se abre

“Quando uma flor se abre, nunca é apenas uma flor
– ela ativa um processo;
então, flores continuam a se abrir.
A primeira flor pode ser difícil, mas as outras simplesmente virão.
A primeira experiência é difícil, porque você não a permite.
Uma vez que a permitiu, então não é só uma flor que se abre
– mil e uma flores vão se abrir…”

Kabir

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Kabir (ou Kabira) (14401518) foi um dos grandes poetas místicos  da Índia medieval, tendo composto poemas que evidenciam a fusão entre o movimento de bhakti hindu e o sufismo muçulmano.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s