A máscara do sorriso

Na China Antiga, um homem chamado Wong, se sentia hostilizado pelas pessoas da pequena aldeia onde morava.
Um dia o senhor Wong foi visitar o sábio da região e então desabafou: cumpro minhas obrigações para com os deuses,
sou um bom cidadão, um exemplar chefe de família, vivo praticando a caridade, por que as pessoas não gostam de mim? E a resposta do mestre foi simples: embora o senhor Wong fosse caridoso, o seu rosto sério levava a todos uma conclusão diferente. Embora ele fosse muito rico, era pobre de “alegria” e “cordialidade” e, por outro lado, nunca sorria, embora ajudasse as pessoas.

O sábio deu ao senhor Wong uma máscara sorridente que se ajustava perfeitamente ao seu rosto. Advertiu-o, entretanto, de que se algum dia a tirasse do rosto, não conseguiria recolocá-la.
No primeiro dia em que Wong saiu à rua, todos começaram a cumprimentá-lo e em pouquíssimo tempo já estava cheio de amigos.
Mas, um dia, chegando à conclusão que as pessoas não gostavam dele, mas da máscara, pensou: é preferível ser hostilizado, a ser estimado por uma máscara falsa. Foi até ao espelho e retirou a máscara sorridente.
Mas que surpresa… o seu rosto tornara-se também sorridente, assumira as expressões e o sorriso da máscara…
“O que você é internamente é uma conseqüência do que você mostra externamente”

Lenda chinesa

Quando queremos conquistar uma habilidade , competência, característica ou mesmo um sonho, o primeiro passo é “agir como se” . Agir como se já houvesse conquistado.

Ao assumirmos o “papel” do que desejamos atingir, isso se reflete e atraimos o que é necessário para que isso seja conquistado. Foco e atração.

Anúncios

O Sol e o Vento – Fábula

O sol e o vento discutiam sobre qual dos dois era mais forte e o vento disse:– Provarei que sou o mais forte. Vê aquele velho que vem lá embaixo com um capote? 

Aposto como posso fazer com que ele tire o capote mais depressa do que você.

O sol recolheu-se atrás de uma nuvem e o vento soprou até quase se tornar um furacão, mas quanto mais ele soprava, mais o velho segurava o capote junto a si.
Finalmente o vento acalmou-se e desistiu de soprar.

Então o sol saiu de trás da nuvem e sorriu bondosamente para o velho.
Imediatamente ele esfregou o rosto e tirou o capote.

O sol disse então ao vento que a gentileza e a amizade eram sempre mais fortes que a fúria e a força.