E agora, fiz 60 anos..

E então, você faz 60 anos. Seus filhos começam a te chamar carinhosamente de “velhinha”.

Alguns já saíram de casa, outros estão levantando voo.

Mesmo com a presença de netos, há um vazio. O que farei daqui para frente?

Surge uma necessidade interna de diminuir o ritmo de vida e de diminuir a carga de responsabilidade e de problemas. Não queremos mais nos preocupar com dinheiro, com a casa, cuidar de crianças ou pensar no que fazer no almoço. Começamos a repensar nos sonhos que ainda não foram realizados. Adquirimos um certo senso de urgência em fazer coisas que deixamos para trás.

Após uma vida toda dedicada a cuidar de outros, voltamos nossa atenção a cuidar de nós mesmos, corpo e alma.

Hoje temos uma perspectiva de vida de até 100 anos, então, quando estamos na casa de 60, podemos programar como queremos viver nos próximos 40 anos.

Para tanto, em primeiro lugar é necessário NÃO SE ACOMODAR NO SOFÁ, por que se não, definhamos aos poucos e ficamos apenas esperando e criando a própria morte.

O que então você pode fazer:

  1. Decida como você gostaria de viver daqui para frente:
    – como você quer viver? Quem você quer ser? Ao que quer se dedicar?
    Se não quiser cozinhar mais, procure um restaurante, um quilo, uma amiga que possa fornecer a comida, …… Abandone o que te traz stress e desprazer e faça novas opções.
    O que gostaria de aprender? – um artesanato, um jogo, um esporte, uma nova língua, andar de bicicleta, uma arte? Já jogou vídeo game?
    Seja paciente com você mesmo , o ritmo para aprender é outro, mas é possível e muito prazeiroso aprender coisas novas todos os dias. Insista, mesmo que a pessoa da academia ou curso te olhe com cara de quem pergunta “ o que esse velhinho está fazendo aqui”. Devemos conquistar nosso espaço e mostrar que temos com o que contribuir.
    É fundamental continuar a se atualizar e aprender, por mais desafiador que possa parecer. Não adianta viver até os 100 e chegar lá sem lucidez, velocidade de pensamento, e fora do mundo por que desistiu de aprender a lidar com a nova tecnologia. Tente, é mais simples do que parece ser.

Você pode achar que dinheiro pode ser um limitador para realizar seus sonhos, afinal nossa aposentadoria não é das melhores, mas hoje existem muitos programas gratuitos ou de baixo custo e com qualidade, para terceira idade, informe-se.

Gostaria de viajar? Esse é momento certo. Programe-se e vá. Hoje existe muitas facilidades para isso.
Pare de desculpas como: Já não ando bem, não tenho companhia, não me darei bem com as pessoas, não quero correria. Escolha com cuidado a companhia de turismo ou faça seu próprio roteiro e com certeza encontrará quem te auxilie pelo caminho.

  1. Saia de casa todos os dias – para uma vida ativa e saudável, saia de casa todos os dias. Se não tiver nenhuma atividade prevista, simplesmente dê uma volta no quarteirão.
  2. Não se limite desnecessariamente. CUIDADO. Seus amigos, filhos, médicos, irão te dizer tudo o que eles ACHAM que você não pode mais fazer. Analise com muita sinceridade, observe sua intuição e não se limite a não ser que seja absolutamente necessário. Essa fase da vida requer amor, compreensão, e prazer. Prazer em viver, em comer, em se relacionar, e em manter a dignidade e a liberdade de escolha. Lute por isso com unhas e dentes, faça valer seus desejos e necessidades. Não vire uma marionete na mão de outras pessoas. A vida é sua, e se não puder viver plenamente e com liberdade, de que vale viver.
  3. APRENDA A DIZER NÃO – seja assertivo com o que você acredita, quer e escolhe. As pessoas ao nosso redor tenderão a nos ocupar com coisas que não necessariamente serão nossas escolhas. Tenho visto familiares utilizarem meus colegas dessa faixa etária com tarefas de office boy a babá, com a maior tranquilidade, sem questionar se isso é algo que queremos fazer ou não.

Estamos numa fase que podemos usufruir um pouco da autonomia. Queremos ser cuidados e mimados, pois a vida não nos permitiu isso antes.

  1. Liberte-se da rotina: Sempre que possível faça algo novo, conheça um lugar novo, acorde quando o olho abrir, durma quando tiver sono e coma quando tiver fome. Divirta-se com o tempo, faça de cada dia uma nova aventura. Não crie obrigações que não sejam determinada por sua satisfação pessoal. Isso não é egoísmo é autoestima – Ame-se e aceite-se em primeiro lugar.
  2. Se preocupe menos – deixa pra lá, se algo está fora do lugar e você não tem vontade de arrumar. Nossa mente cria muita confusão desnecessariamente.

87% dos problemas que pensamos ter não existem, serão resolvidos rapidamente, então: para que se preocupar?

  1. Jogue todos seus medos fora : de que adianta ter tempo livre, poder escolher e ficar limitado por sua própria mente. Siga seu coração. É melhor viver feliz por menos tempo do que infeliz por mais 40 anos. A maior parte dos medos são simples de superar. Pergunte-se: o que de pior pode acontecer se eu fizer isso?
    o que de melhor pode acontecer se eu fizer isso? E o que é provável que aconteça?
  2. Delegue – Se não quiser ou puder fazer algo, seja humilde e peça ajuda, delegue o que puder para filhos, amigos, terceiros, …… E entenda que cada um faz as coisas de seu próprio jeito. Nunca ninguém fará “ tão bem quanto você “ kkkk, no entanto, se você não tem prazer em fazer algo, é melhor deixar que outro o faça.
  3. Seja gentil e amoroso com todos ao seu redor. Não adianta ficar gritando com todos ao seu redor, ou ficar de cara amarrada quando não fazem o que você quer. Você já é maduro, encontre novas formas de conquistar o que você quer, argumente amorosamente, coloque o que você sente e pensa, e principalmente AJA sem precisar de aprovação e assuma a responsabilidade por isso. É impossível agradar a todos ao nosso redor. Mas ajuda muito não piorar as coisas .
  4. Conviva apenas com amizades e pessoas positivas e felizes. Pessoas que te estimulem e motivem. E, se estiver sozinha, ainda acredite que o amor é possível.
  5. Anote e agradeça por todas as coisas boas diariamente. Começando por agradecer por estar vivo. Acredito que nosso pensamento cria a realidade, então ao pensar nas coisas boas e bênçãos de sua vida, estará criando mais disso. Dê atenção e valor apenas a parte boa de sua vida. Sempre temos uma dorzinha aqui, um desconforto lá, nosso corpo não é mais o mesmo. Quanto mais dermos atenção a esses incômodos, mais pesada e difícil se tornará nossa vida. Escolha focar apenas nas coisas boas, produtivas, leves, e agradeça.
  6. Cuide de seu interior – No que você acredita? Qual sua conexão com aquela parte divina que está em voce? Como você pode cultivar mais essa conexão e vivenciá-la? Cada pessoa tem uma relação diferenciada nesse contexto. Escolha sua maneira de desenvolver sua espiritualidade e dedique-se, isso irá ampliar seus horizontes interiores.
  7. Cuide de seu corpo e alma todos os dias, segundo seus preceitos e gostos:
    O que te faz bem comer? Te deixa leve e com sensação de bem estar?
    Qual atividade física você gosta de exercitar? caminhar? dançar? yoga?pilates? nadar? São tantas as opções escolha a que te agrada.
    O que te deixa tranquilo e feliz: Meditar? rezar? ouvir musica? Caminhar na praia? Encontrar os amigos?
  8. Viva no agora: o passado já foi e o futuro ainda não chegou, então vivencie e aproveite cada momento.
  9. Seja feliz: a felicidade é um sentimento autocriado. Faça uma lista das coisas que te fazem feliz (podem coisas pequenas ou grandes) e sempre que possível faça algo dessa lista. Ou então , simplesmente feche os olhos, respire profundamente algumas vezes e lembre-se de um momento em que foi muito feliz na sua vida, apenas sinta, não deixe que pensamentos interfiram, sinta no seu corpo essa felicidade, veja você feliz, ouça os sons daquele momento e expanda essa sensação até tomar conta de você. Pronto. A felicidade está aí, aproveite.

Resumindo: se você puder criar uma vida ideal , como ela será? Qual a prioridade ? qual o primeiro passo?  Vamos lá, vale a pena!!!!

Anúncios

Continua a carregar

Uma fábula do Zen budismo que se aplica ao nosso dia a dia

monge1Dois monges se preparavam para atravessar um rio, conhecido como o Rio da Discórdia, antes de subirem uma montanha, chamada de Montanha da Fé.

Um deles era novo e o outro velho.

Ao chegarem às margens do rio, os religiosos ficaram ao lado de uma moça muito bem vestida, que também queria chegar ao outro lado do rio, mas com um detalhe: sem se molhar!

Com um olhar, ela pediu ajuda ao monge mais novo.

Este desviou o olhar e seguiu pelo rio.

A mulher arrumou os cabelos, se abanou com um leque e dirigiu o seu pedido de ajuda com um profundo olhar para o monge mais velho.

Este não teve dúvida: pôs a moça nos ombros e atravessou o rio, carregando-a.

Do outro lado, satisfeita e seca, ela agradeceu o velho e olhou o mais novo com desdém.

Esse monge mais jovem olhou com indignação e raiva para o mais velho! O monge retribui aos dois com um olhar de compaixão e tranquila alegria.

Nem é preciso dizer que aquilo irritou ainda mais o mais novo!monge2

Os monges continuaram seu caminho rumo a Montanha da Fé. O novo carregava um semblante pesado e carrancudo e o velho levava com ele sua expressão de leveza e serenidade.

De acordo com as regras de sua fé, os monges não deveriam tocar as mulheres. Caminharam por horas, mas o monge mais novo ainda estava perplexo com a atitude do mais velho. Quando chegaram ao pé da montanha da fé, o jovem não agüentou mais e expressou seus pensamentos em voz alta:

– Você sabe muito bem que os monges não devem tocar as mulheres! Por que carregou aquela moça pelo rio?

– O mais velho olhou o mais novo com um semblante de alegria e desprendimento. Apenas respondeu: “Naquele momento, julguei que ajudar um outro ser humano sem julgá-lo fosse mais importante do que não tocá-lo. No entanto, eu larguei a jovem três horas atrás e a deixei às margens do rio. Por que você continua carregando a moça?”

O que você continua carregando que ficou lá atrás, no rio do passado?

Referências:

Contos Budistas recontados por Sherab Chödzin e Alexandra Kohn – trad. Monica Stahel – Martins Fontes, São Paulo, 2003
Ilustrações: Marie Cameron (in Contos Budistas – Sherab Chödzin e Alexandra Kohn – trad. Monica Stahel – Martins Fontes p. 24 e 25)

Novos formatos

Ola

Estou começando esse ano com dois novos formatos de atendimento:

  1. Sessão inicial gratuita e sem compromisso e mais 9 sessões de 90 minutos cada
  2. Sessão avulsa poderosa para alavancar uma meta específica, pontual, no qual a pessoa não esteja enxergando o que está impedindo sua realização.

São poucos horários, agendem ou indiquem para um amigo que voces sabem que poderei auxiliar com meu trabalho. Nesse semestre atenderei de janeiro ao meio de maio. Depois disso estarei em viagem de estudos ao exterior.

prop3

Recomeçar

recomecarQuando comecei o ano de 2016, eu estava com muita energia e uma grande vontade de me respeitar e me conhecer como nunca. Eu acabara de estudar, junto com uma amiga, o conteúdo do livro “Escola dos deuses”(Elio D’Anna) e que criou em nosso interior mais uma expansão na maneira de ver a vida. Questões como o que é viver de verdade, viver no agora que é o único momento que temos, aprender a olhar para seu interior com coragem, prontas para ver o que era luz e o que eram trevas, e que a estrada fica muito leve quando não carregamos bagagens internas desnecessárias.

Decidimos então ir para a Italia em março e então achei conveniente não trabalhar antes disso. Meu processo  de life coaching dura em geral de 10 a 12 sessões e não quis deixar nenhum cliente no meio do caminho.

Fomos para Italia, vimos lugares lindos, conhecemos a Escola Superior de Economia e participamos de um workshop com o Elio D’Anna.

Muito foi aprendido nessa viagem, a conexão com o todo, a sincronicidade, o deixar-se levar pelo fluxo e ao mesmo tempo criar e agir ativamente. E ..que estados internos geram eventos externos, sempre.

Quando voltei da Italia em abril, senti uma necessidade enorme de me dar de presente um tempo. Eu trabalho desde os 14 anos sem trégua (estou com 61), muitas vezes sem férias, e senti que merecia atender aos meus desejos de alma. Estava muito feliz. No começo não decidi conscientemente por um período de pausa, por achar que não mereceria ou então que seria impossível me manter (coisas inconscientes que ficam em nossa mente e que estamos sempre limpando). Porém fui ouvindo meu coração e confiando na minha capacidade de criar minha própria realidade em conjunto com o Universo e tudo fluiu. Para não dizer que não trabalhei atendi apenas duas lindas moças, filha e amiga de uma cliente muito querida, por que era urgente para elas que fosse naquele momento. E depois assumi de verdade meu ano de apenas SER.

Foi um ano espetacular, aprendi muito sobre quem sou, sobre meu poder interno, reavaliei mais uma vez minhas crenças. Vivi intensamente meus valores. E senti o enorme prazer de ser livre, “acordar quando o olho abre, dormir quando o olho fecha e comer quando se tem fome” ou mesmo não dormir ou não comer, caminhar, correr, nadar, viajar e entender que não é com luta, desgastes, preocupação, que conseguimos crescer e ter o sustento necessário, que existem muitas formas de riquezas no mundo, que dinheiro é uma energia e que se estivermos sintonizados a essa frequência  e com o posicionamento correto, ele virá.

Acordar e se perguntar, o que pode me deixar mais feliz hoje e realizar, a cada dia, é indescritível.tempo-sem-tempo

Já no final do ano passado, minhas metas começaram a me cutucar e a se fazerem presentes e um enorme desejo de voltar a atender meus clientes, a auxiliá-los a descobrir que podem e merecem serem felizes, realizados, livres, foi reacendendo em meu interior. Essa é minha missão.

Hoje reinicio meus trabalhos: escrever e atender como life coach.  Novidades estarão surgindo por todo esse ano.

Em meu atendimento individual, nesse semestre trabalharei de janeiro à maio, pois viajarei novamente depois. (Descobri  também que sou mesmo uma cidadã do mundo e alimentarei isso sempre que possível.)

Então, se você ou alguém que você conhece estiver muito disposto a mudar para melhor e a dar muito mais vida a sua vida, entre logo em contato. Terei apenas 5 vagas que serão renovadas a cada 12 semanas. Por isso, agende ou indique à alguém rapidamente uma sessão de impacto  gratuita.

Quero também agradecer a todos que participaram desse incrível ano: seres iluminados, minha familia, meus grandes amigos que junto comigo puderam vivenciar coisas maravilhosas e meu cão, eterno companheiro. Agradeço especialmente à Ana Paula, por iniciar  e a Juliana, por enveredar nesse estudo e vivencia comigo, às Monicas  Griesi e Spinola pela sabedoria , ao novo amigo Roger por trazer humor e por cuidar tão bem do Frodo, ao Stefan pelo excelente primeiro dia de ano junto aos demais familiares e a novos amigos. E finalmente aos meus queridos clientes que tem me enviado relatos incríveis de suas grandes mudanças de vida. Estou feliz, grata e com uma profunda paz interior.

Agora, agir em direção as metas 🙂

Confie, sonhe, crie sua realidade

natal

Tudo que é visível surge do invisível. Todo pensamento, idéia, emoção, crença, fé surge no invisível para depois manifestar-se como realidade.

E toda essa capacidade está aí, dentro de você.

Por isso, confie, sonhe, crie sua própria realidade, foque sempre no que você quer. E espalhe amor, harmonia e felicidade a todos que encontrar e então, você se torna uma luz no mundo.

Você pode