Ah! A Rachel

Rachel de Queiroz nasceu em Fortaleza em 17 de novembro de 1910, foi uma grande poetisa, romancista, jornalista, dramaturga, cronista e escritora.

Mas o principal, foi uma pioneira no mundo feminino:

primeira mulher Autora a ingressar na Academia Brasileira de Letras.

primeira mulher galardoada com o Prêmio Camões e a ingressar na Academia Cearense de Letras 

Clara sincera, desde cedo envolvida politicamente em causas sociais, por conta disso foi presa e teve seus livros queimados.

Detentora de inúmeros prêmios, teve uma enorme produção escrita em toda sua vida.

Verdadeira desbravadora, não se considerava feminista, apenas dizia que as mulheres deveriam ter oportunidades de evoluir assim como aos homens.

Rachel era simplesmente ela, transparente e vivida.

Deixo aqui uma poesia para lembrá-la e homenageá-la.

Geometria dos Ventos – Rachel de Quei´róz

“Eis que temos aqui a Poesia,
a grande Poesia.
Que não oferece signos
nem linguagem específica, não respeita
sequer os limites do idioma. Ela flui, como um rio.
como o sangue nas artérias,
tão espontânea que nem se sabe como foi escrita.
E ao mesmo tempo tão elaborada –
feito uma flor na sua perfeição minuciosa,
um cristal que se arranca da terra
já dentro da geometria impecável
da sua lapidação.
Onde se conta uma história,
onde se vive um delírio; onde a condição humana exacerba,
até à fronteira da loucura,
junto com Vincent e os seus girassóis de fogo,
à sombra de Eva Braun, envolta no mistério ao
mesmo tempo
fácil e insolúvel da sua tragédia.
Sim, é o encontro com a Poesia.”

Anúncios

Encare seu medo

Estamos vivendo numa época em que o medo é cultivado minunciosamente para que as pessoas fiquem aprisionadas em si mesmo, e possam ser mais facilmente conduzidas: medo da doença, de assalto, de violência, de ficar sozinho, de ser enganado, de ficar sem dinheiro, de errar, etc… .
No entanto, estamos na melhor época para individualmente nos libertarmos através do entendimento, do coaching, de terapias , de técnicas e alcançarmos totalmente nosso potencial.

Mas o principal é: você pode conscientemente controlar isso, educar seus pensamentos e sentimentos.
Viver o agora, criar conexão.

Eu sempre comento com meus clientes e amigos que não existe Fé com medo. Quando se tem fé, tudo é possivel. Fé em Deus, fé no Universo, fé no futuro, confiança que tudo o que vem para sua vida é o melhor para aquele momento.

No texto abaixo, Jim Carrey coloca o opositor do medo como sendo o AMOR num belo texto onde ele foi paraninfo numa formatura.
Ele coloca também como podemos transformar algo que talvez não seja bom ( o fracasso de seu pai como comediante) em uma luz para o mundo.

O que importa é que quando você vibra na vibração de fé e confiança , ou na vibração do amor, o medo desaparece.

Aprenda a lidar com seus sentimentos e pensamentos, acredite em si mesmo, acredite que pode alcançar sua plenitude.
E aí….nada mais será necessário, tudo virá a você.

Deixo abaixo, parte do texto e o vídeo com parte do discurso para que você reflita.

O Discurso (parte)

 

“Eu trouxe um dos meus quadros para lhes mostrar hoje. Espero que possam enxergá-lo. Não é o meu maior quadro. Talvez vocês prefiram vir até aqui a frente e dar uma boa olhada………..

….E estou aqui para plantar um semente hoje. Uma semente que os inspirará a seguir em frente com as suas vidas com corações, entusiasmados e um claro sentido de completude. …..

……Porque a vida não acontece para você, ela acontece por você ! Como eu sei disso? Eu não sei. Mas faço parecer que sei, o que é importante. É o que vim fazer aqui. As vezes, eu penso que essa é a unica coisa realmente importante, deixar que as pessoas saibam que estamos aqui, lembrar-nos uns aos outros que somos partes de uma unidade maior. Eu costumava pensar que Jim Carrey era tudo o que eu era, apenas uma luz bruxuleante, uma sombra dançante, o grande nada mascarado de algo que vocês pudessem nomear. Procurando abrigo em cavernas e fósseis desenterrados as pressas, um arqueiro procurando o seu alvo em um espelho. Ferido apenas por minhas próprias flechas, implorando para ser escravizado, implorando por minhas correntes, cego pelo anseio, e alcançando o paraíso.

Posso ouvir um “Amém”? Vocês não achavam que eu podia ser sério, não é? Eu acho que vocês não sabem com quem estão lidando! Eu não tenho limites. Eu não posso ser dominado, porque eu sou o dominador. Você não pode dominar o dominador, cara! Não pode! Eu costumava pensar que quem eu era terminava na minha pele, que eu havia ganhado esse pequeno veículo chamado corpo, através do qual experimentamos a criação. E, embora eu não pudesse ter pedido um “modelo mais esportivo” do que este, eu era solitário e seria devolvido de qualquer maneira. E então eu aprendi que tudo que estava fora do veículo era parte de mim também. ……

………. Vocês são a vanguarda do conhecimento e da consciência, uma nova onda em um mundo vasto de possibilidades.
Do outro lado daquela porta, há um mundo faminto de novas idéias, novas lideranças. Eu tenho estado lá há trinta anos. Pode ser difícil la fora. Mas não tem problema, porque há sorvete expresso…com cobertura. Eu acho que é isso que estou tentando dizer aqui hoje. As vezes, não há problema em comermos os nossos sentimentos…..

Agora, o medo será um jogador em sua vida. É você quem decide o quanto. Você pode passar a vida imaginando fantasmas, preocupando-se com o caminho para o futuro. Mas tudo o que sempre haverá é o que está acontecendo aqui, e as decisões que tomamos nesse momento, as quais são baseadas em amor ou medo. Tantos entre nós escolhem o nosso caminho a partir de um medo disfarçado de praticidade. Mas o que realmente queremos parece impossível, fora do alcance e ridículo de se esperar, então nunca ousamos pedi-lo ao universo. Eu estou dizendo que eu sou a prova de que você pode pedi-lo ao universo. Por favor !! E se não acontecer para vocês tão rapidamente, é porque o universo esta ocupado realizando os meus pedidos !

Meu pai poderia ter sido um grande comediante, mas ele não acreditava que era possível para ele. Então ele fez uma escolha conservadora. Ao invés, escolheu um emprego seguro como contador e, quando eu tinha doze anos, ele foi demitido daquele emprego seguro. E minha família teve de fazer o que era possível para sobreviver. Eu aprendi muitas lições com meu pai, entre elas a de que você pode falhar naquilo que não quer, que não gosta, sendo assim por que não pelo menos tentar fazer algo que você ame?

Não foi a única coisa que ele me ensinou, porém. Eu vi de perto o efeito do amor e do humor do meu pai e com isso alterava o mundo ao meu redor. E eu pensei: ai está algo para eu fazer! Algo a que posso dedicar o meu tempo. Não demorou muito para que eu começasse a atuar. As pessoas vinham até a minha casa e eram saudadas por um menino de sete anos, que se atirava do topo de uma enorme lance de escadas. Eles diziam: O que houve?. E eu dizia: Eu não sei, vamos ver o replay. Eu subia de volta para o topo da escada e descia em câmera lenta.

Era uma família bastante estranha. Meu pai costumava se gabar de que eu não estava possuído, eu era o próprio demônio. E ele tratava o meu talento como sua segunda chance. Quando eu tinha 28 anos, depois de uma década como comediante profissional, eu me dei conta uma noite em LA, que o propósito da minha vida sempre tinha sido o de livrar as pessoas de suas preocupações, exatamente como meu pai. E quando me dei conta disso, eu nomeei minha nova devoção: Igreja da Liberdade de Preocupação. E me dediquei aquele ministério. Agora, qual é o de vocês? Como servirão ao mundo? Do que eles precisam, que o seu talento pode suprir? Isso é tudo o que precisam descobrir. Na condição de alguém que fez o que vocês estão prestes a fazer, posso dizer, por minha experiência, que o efeito que vocês tem sobre outros é a moeda mais valiosa que existe. Porque tudo o que você ganhar na vida irá apodrecer e se despedaçar, e o que sobrará de você é o que você tinha no coração.

Minha escolha de libertar as pessoas levou-me ao topo da montanha. Vejam onde estou. Vejam as coisas que posso fazer. Onde quer que eu vá. Eu sei que vou me sentir emotivo, porque quando acesso essas coisas, é extraordinário para mim. Eu fiz algo que levou as pessoas a apresentarem o melhor de si para mim, onde quer que eu vá.

Eu estou no topo da montanha, eu estava e o único que eu não havia libertado era a mim mesmo. E foi que minha procura por identidade se aprofundou. Eu me perguntava quem eu seria sem minha fama. Quem eu seria se dissesse coisas que as pessoas não quisessem ouvi? E se eu desafiasse suas expectativas com relação a mim? …………..tá em algum lugar além da personalidade, além da percepção de outros, além de invenções e disfarces, até mesmo além do esforço em si. Vocês podem entrar no jogo, lutar as guerras, brincar com formas o quanto quiserem, mas para encontrarem paz de verdade, é preciso livrar-se da armadura. Sua necessidade de aceitação pode fazê-lo invisível nesse mundo. Não deixe que nada interrompa a luz que brilha através dessa forma. Arrisque ser visto em toda a sua glória.

carreydis1

Não é um quadro grande o suficiente. Esse quadro é grande por uma razão. Chama-se “alta visibilidade”. Tem a ver com escolher uma luz e ousar se visto. Mas aqui está a dificuldade: todos são atraídos pela luz. A anfitriã da festa la em cima, que pensa que inconsciência é felicidade. Ela sempre dá de beber das garrafa que nos esvaziam.

A miséria logo abaixo despreza a luz, ela odeia quando estamos bem. Não nos deseja nada além do pior. A rainha de ouro, logo abaixo, precisa do seu pai para construir sua casa de cartas. E aquele personagem oco bem no canto se agarrará a sua perna e dirá: Por favor, não me deixe para trás. Porque eu abandonei a mim mesmo.

Mesmo aqueles que são próximos, que mais o amam, e quem você mais ama encontrarão clareza ao se confrontarem. Este quadro me tomou milhares de horas para completar, e quando terminei – obrigado, milhares de horas que jamais recuperarei. Eu trabalhei nisso por tanto tempo. Foram semanas e semanas como um maluco sozinho em um andaime. E,quando terminei, um amigo meu disse: Esse quadro ficaria bem legal com luz negra. Então comecei novamente. Ha personagens bem assustadores lá em cima..mas melhor lá em cima do que aqui dentro. Obrigado.

Pintar é um dos meios pelos quais me livro das preocupações. Uma maneira de parar o mundo através de total envolvimento mental, físico e espiritual. Mas mesmo assim, há um sentimento de insatisfação divina. Porque, no fim das contas, não somos os avatares que criamos. Não somos as imagens na película. Somos a luz que brilha através. Todo resto não passa de espelhos fumegantes, distrativos mas não verdadeiramente persuasivos.

Eu disse muitas vezes que gostaria que as pessoas realizassem seus sonhos de fortuna e fama para que vissem que náo é ai que esta seu sentido de completude. Como muitos de vocês eu me preocupava em sair pelo mundo fazendo algo que fosse maior do que eu mesmo. Até que alguém mais esperto do que eu me fez entender que não ha nada maior do que eu. Minha alma não esta restrita aos limites do meu corpo. Meu corpo está restrito as limitações da minha alma. Um só campo unificado. Um só campo unificado feito de nada, dançando sem um motivo particular, exceto talvez o de confortar e entreter a si mesmo.

Quando essa mudança ocorrer em você, você sentira o mundo, será sentido por ele, será abraçado por ele. E eu estou sempre no começo. Eu tenho um botão de reinício e eu o aciono constantemente. Quando esse botão funciona na sua vida, não há história criada por sua mente que possa ser tão persuasiva. A imaginação esta sempre construindo cenários, ambos bons e ruins. E o ego tenta mantê-lo preso no multiplex da mente.

Nossos olhos não são apenas observadores, são também projetores que conduzem uma segunda história acima do filme, a qual vemos a nossa frente o tempo todo. É o medo quem escreve esse roteiro. E o seu título é “Eu nunca serei suficiente”. Vocês olharão para uma pessoa como eu e dirão: Nós jamais poderíamos alcançar esse nível de sucesso, Jim! Como poderíamos ter feito um quadro que é grande demais para a nossa casa? Como você voa tão alto sem um aparato especial para respiração? … Essa é a voz do ego. Se a ouvirem, haverá sempre alguém fazendo algo melhor do que você. Não importa o que você ganhe, o ego não o deixará descansar. Ele dirá que você não pode parar até que tenha deixado uma marca indelével na Terra, até que tenha alcançado a imortalidade.

Quão ardil é esse ego, que tenta nos seduzir com algo que ja é nosso. Então, eu só quero que relaxem. Entendem? Essa é a minha tarefa. Relaxem e sonhem com uma vida boa. Eu tive um professor substituto na irlanda no segundo ano. Ele disse a nossa turma, durante uma oração matutina, que quando ela queria algo, o que quer que fosse, ela rezava por aquilo e prometia algo em troca. E sempre conseguia o que queria. Eu sentava ao fundo da sala, e pensei: Minha família não pode comprar uma bicicleta. Então fui para casa e rezei por ela. E prometi que recitaria o rosário toda noite em troca. É claro que quebrei a promessa. Mas, duas semanas depois, voltei para casa da escola e encontrei uma bicicleta Mustang com um banco de banana e um guidão easy-rider. De bobão ao Bonzão!

Minha familia informou que eu tinha ganhado a bicicleta numa rifa, porque um amigo tinha incluido o meu nome sem que eu soubesse. Então, esse tipo de coisa tem acontecido comigo desde então. Para mim, tudo se resume em deixar que o universo saiba o que você quer e trabalhar para aquele fim, sem se importar com a maneira em que as coisas se darão. Seu trabalho não é descobrir como aconterá para você, e sim abrir a porta em sua cabeça e, quando a porta se abrir na vida real, apenas caminhe através dela.

E não se preocupem se perderem a sua deixa, porque sempre a portas se abrindo. Elas seguem se abrindo. E quando digo que a vida não acontece com você, ela acontece para você, eu realmente não sei se é verdade. Só estou fazendo a escolha consciente de perceber desafios como algo benéfico, para que possa lidar com eles da maneira mais produtiva. Vocês inventarão seu próprio estilo. Isso é parte da diversão. Ah, e por que não dar uma chance a fé também? Deem uma chance a fé. Não religião, mas fé. Não esperança, mas fé. Eu não acredito em esperança. A esperança é uma pedinte.
A esperança caminha sobre o fogo, e a fé pula sobre ele.

Vocês estão prontos e aptos a fazer coisas lindas nesse mundo. E, quando sairem por aquela porta hoje, terão apenas duas escolhas: AMOR E MEDO. Escolham o AMOR !!! E nunca deixem o medo voltá-los contra os seus corações brincalhões. MUITO OBRIGADO !!!!”

6 passos para começar a mudar a sua vida

Você quer mudar, sabe que algo não vai bem, quer sentir que é o protagonista e criador de sua vida.

Não tem idéia de por onde começar?

Vou te ajudar com isso

O primeiro ponto que você deve seguir com muita atenção é o processo de eliminação e limpeza.
SIGA ESSA ORDEM.

  1. Comece por arrumar sua casa e seu local de trabalho.
    Ao organizar as coisas pense “ gosto desse objeto?” “ele faz eu me sentir bem?” se for algo bom, guarde e agradeça interiormente sentido como é bom tê-lo, se for algo que ter traz lembranças ruins ou sensação pesada, simplesmente jogue fora, mesmo que seja algo que guarda a séculos por que foi alguém carinhoso que deu. Se a energia do objeto não é boa, desfaça-se dele.
    Procure ter um sentimento de gratidão por tudo que você tem (mesmo que você ainda não esteja satisfeito com isso). Se frases ou sentimentos vierem a sua mente, escreva em seu caderno coaching, depois trabalharemos isso.
    Cuidado com alguns pensamentos, quando você guarda algo com medo de precisar no futuro, está atraindo escassez para sua vida. Desfaça-se, venda, doe, e quando precisar compra um novinho.
    Olhe para suas coisas, o que tem a ver com quem você está se tornando? O que não tem a ver? É algo que posso mudar agora? Dar uma outra cor, mudar de lugar, de comodo? Divirta-se, fique feliz com isso.
    Sugiro a leitura do livro: ” A mágica da Arrumação” de Maria Kondo
  2.  Perdão – Agora vamos aprofundar: faça uma lista das pessoas de que você guarda mágoas, pode ser uma grande lista – pequenas e grandes mágoas, rancores, invejas, ofensas,…. coisas que você ouviu a vida toda e que te atormentam, te deixam preso ao chão. Não te permitem voar. Perdoar não é esquecer, é se livrar da emoção que você tem arrastado toda sua vida.
    Adicionei aqui uma ferramenta de perdão do Coach Kau Mascarenhas

  3. Como estão os seus relacionamentos 
    Você consegue ser amoroso com as pessoas ao seu redor?, mesmo os mais desafiadores? EFT – Emotional Freedom Techniques – resumida
    Faça uma lista das qualidades dos que os rodeiam e comece a falar para as pessoas ou ao menos se lembre dessas qualidade delas, quando estiverem por perto.
    Se você não se d´á bem com alguém, lembre-se que essa pessoa está fazendo o melhor que pode, SIM ESTÁ, dentro da compreensão dela, quando tiver que se relacionar com essa pessoa, vibre mentalmente o ho’oponopono – sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato. Isso cria uma energia de neutralidade, de solução, de amor.
  4. E o que você tem que perdoar a si mesmo?
    Faça uma lista e aqui você pode usar a tecnica do perdão acima, ou o ho’ponopono.
  5. Âmbitos familiares mal resolvidos, sensação de aprisionamento, de estancamento, pensar em alguém da família do presente ou do passado e sentir uma energia muito ruim, aconselho que faça uma ou mais sessões de Constelação Sistêmica.(tecnica criada por Bert Hellinger)
  6. A imagem que tem de si mesmo:
    Como você se vê você?
    quais os conceitos que tem sobre si mesmo, se tiver algo negativo, anote.
    Se vier uma imagem escura, sem cor, provoque mentalmente a luz e a cor.
    Comece também a anotar pensamentos e crenças negativas recorrentes.
    Hábitos que você quer eliminar, fobias, medos.
    Você pode iniciar essa limpeza usando EFT – Emotional Freedom Techniques

    Mas lembre-se de se amar como é com as coisas que quer melhorar em você também.
    Quando você muda, sua vida muda, dedique-se a essa limpeza com muito amor e dedicação.

    Esse é apenas o começo. Mas é a parte mais desafiadora e fundamental.

    Qualquer duvida, entre em contato.

    Se não conseguir sozinho, agende uma sessão sem compromisso, eu te auxilio a caminhar rumo a uma vida mais leve e feliz.

E agora, fiz 60 anos..

E então, você faz 60 anos. Seus filhos começam a te chamar carinhosamente de “velhinha”.

Alguns já saíram de casa, outros estão levantando voo.

Mesmo com a presença de netos, há um vazio. O que farei daqui para frente?

Surge uma necessidade interna de diminuir o ritmo de vida e de diminuir a carga de responsabilidade e de problemas. Não queremos mais nos preocupar com dinheiro, com a casa, cuidar de crianças ou pensar no que fazer no almoço. Começamos a repensar nos sonhos que ainda não foram realizados. Adquirimos um certo senso de urgência em fazer coisas que deixamos para trás.

Após uma vida toda dedicada a cuidar de outros, voltamos nossa atenção a cuidar de nós mesmos, corpo e alma.

Hoje temos uma perspectiva de vida de até 100 anos, então, quando estamos na casa de 60, podemos programar como queremos viver nos próximos 40 anos.

Para tanto, em primeiro lugar é necessário NÃO SE ACOMODAR NO SOFÁ, por que se não, definhamos aos poucos e ficamos apenas esperando e criando a própria morte.

O que então você pode fazer:

  1. Decida como você gostaria de viver daqui para frente:
    – como você quer viver? Quem você quer ser? Ao que quer se dedicar?
    Se não quiser cozinhar mais, procure um restaurante, um quilo, uma amiga que possa fornecer a comida, …… Abandone o que te traz stress e desprazer e faça novas opções.
    O que gostaria de aprender? – um artesanato, um jogo, um esporte, uma nova língua, andar de bicicleta, uma arte? Já jogou vídeo game?
    Seja paciente com você mesmo , o ritmo para aprender é outro, mas é possível e muito prazeiroso aprender coisas novas todos os dias. Insista, mesmo que a pessoa da academia ou curso te olhe com cara de quem pergunta “ o que esse velhinho está fazendo aqui”. Devemos conquistar nosso espaço e mostrar que temos com o que contribuir.
    É fundamental continuar a se atualizar e aprender, por mais desafiador que possa parecer. Não adianta viver até os 100 e chegar lá sem lucidez, velocidade de pensamento, e fora do mundo por que desistiu de aprender a lidar com a nova tecnologia. Tente, é mais simples do que parece ser.

Você pode achar que dinheiro pode ser um limitador para realizar seus sonhos, afinal nossa aposentadoria não é das melhores, mas hoje existem muitos programas gratuitos ou de baixo custo e com qualidade, para terceira idade, informe-se.

Gostaria de viajar? Esse é momento certo. Programe-se e vá. Hoje existe muitas facilidades para isso.
Pare de desculpas como: Já não ando bem, não tenho companhia, não me darei bem com as pessoas, não quero correria. Escolha com cuidado a companhia de turismo ou faça seu próprio roteiro e com certeza encontrará quem te auxilie pelo caminho.

  1. Saia de casa todos os dias – para uma vida ativa e saudável, saia de casa todos os dias. Se não tiver nenhuma atividade prevista, simplesmente dê uma volta no quarteirão.
  2. Não se limite desnecessariamente. CUIDADO. Seus amigos, filhos, médicos, irão te dizer tudo o que eles ACHAM que você não pode mais fazer. Analise com muita sinceridade, observe sua intuição e não se limite a não ser que seja absolutamente necessário. Essa fase da vida requer amor, compreensão, e prazer. Prazer em viver, em comer, em se relacionar, e em manter a dignidade e a liberdade de escolha. Lute por isso com unhas e dentes, faça valer seus desejos e necessidades. Não vire uma marionete na mão de outras pessoas. A vida é sua, e se não puder viver plenamente e com liberdade, de que vale viver.
  3. APRENDA A DIZER NÃO – seja assertivo com o que você acredita, quer e escolhe. As pessoas ao nosso redor tenderão a nos ocupar com coisas que não necessariamente serão nossas escolhas. Tenho visto familiares utilizarem meus colegas dessa faixa etária com tarefas de office boy a babá, com a maior tranquilidade, sem questionar se isso é algo que queremos fazer ou não.

Estamos numa fase que podemos usufruir um pouco da autonomia. Queremos ser cuidados e mimados, pois a vida não nos permitiu isso antes.

  1. Liberte-se da rotina: Sempre que possível faça algo novo, conheça um lugar novo, acorde quando o olho abrir, durma quando tiver sono e coma quando tiver fome. Divirta-se com o tempo, faça de cada dia uma nova aventura. Não crie obrigações que não sejam determinada por sua satisfação pessoal. Isso não é egoísmo é autoestima – Ame-se e aceite-se em primeiro lugar.
  2. Se preocupe menos – deixa pra lá, se algo está fora do lugar e você não tem vontade de arrumar. Nossa mente cria muita confusão desnecessariamente.

87% dos problemas que pensamos ter não existem, serão resolvidos rapidamente, então: para que se preocupar?

  1. Jogue todos seus medos fora : de que adianta ter tempo livre, poder escolher e ficar limitado por sua própria mente. Siga seu coração. É melhor viver feliz por menos tempo do que infeliz por mais 40 anos. A maior parte dos medos são simples de superar. Pergunte-se: o que de pior pode acontecer se eu fizer isso?
    o que de melhor pode acontecer se eu fizer isso? E o que é provável que aconteça?
  2. Delegue – Se não quiser ou puder fazer algo, seja humilde e peça ajuda, delegue o que puder para filhos, amigos, terceiros, …… E entenda que cada um faz as coisas de seu próprio jeito. Nunca ninguém fará “ tão bem quanto você “ kkkk, no entanto, se você não tem prazer em fazer algo, é melhor deixar que outro o faça.
  3. Seja gentil e amoroso com todos ao seu redor. Não adianta ficar gritando com todos ao seu redor, ou ficar de cara amarrada quando não fazem o que você quer. Você já é maduro, encontre novas formas de conquistar o que você quer, argumente amorosamente, coloque o que você sente e pensa, e principalmente AJA sem precisar de aprovação e assuma a responsabilidade por isso. É impossível agradar a todos ao nosso redor. Mas ajuda muito não piorar as coisas .
  4. Conviva apenas com amizades e pessoas positivas e felizes. Pessoas que te estimulem e motivem. E, se estiver sozinha, ainda acredite que o amor é possível.
  5. Anote e agradeça por todas as coisas boas diariamente. Começando por agradecer por estar vivo. Acredito que nosso pensamento cria a realidade, então ao pensar nas coisas boas e bênçãos de sua vida, estará criando mais disso. Dê atenção e valor apenas a parte boa de sua vida. Sempre temos uma dorzinha aqui, um desconforto lá, nosso corpo não é mais o mesmo. Quanto mais dermos atenção a esses incômodos, mais pesada e difícil se tornará nossa vida. Escolha focar apenas nas coisas boas, produtivas, leves, e agradeça.
  6. Cuide de seu interior – No que você acredita? Qual sua conexão com aquela parte divina que está em voce? Como você pode cultivar mais essa conexão e vivenciá-la? Cada pessoa tem uma relação diferenciada nesse contexto. Escolha sua maneira de desenvolver sua espiritualidade e dedique-se, isso irá ampliar seus horizontes interiores.
  7. Cuide de seu corpo e alma todos os dias, segundo seus preceitos e gostos:
    O que te faz bem comer? Te deixa leve e com sensação de bem estar?
    Qual atividade física você gosta de exercitar? caminhar? dançar? yoga?pilates? nadar? São tantas as opções escolha a que te agrada.
    O que te deixa tranquilo e feliz: Meditar? rezar? ouvir musica? Caminhar na praia? Encontrar os amigos?
  8. Viva no agora: o passado já foi e o futuro ainda não chegou, então vivencie e aproveite cada momento.
  9. Seja feliz: a felicidade é um sentimento autocriado. Faça uma lista das coisas que te fazem feliz (podem coisas pequenas ou grandes) e sempre que possível faça algo dessa lista. Ou então , simplesmente feche os olhos, respire profundamente algumas vezes e lembre-se de um momento em que foi muito feliz na sua vida, apenas sinta, não deixe que pensamentos interfiram, sinta no seu corpo essa felicidade, veja você feliz, ouça os sons daquele momento e expanda essa sensação até tomar conta de você. Pronto. A felicidade está aí, aproveite.

Resumindo: se você puder criar uma vida ideal , como ela será? Qual a prioridade ? qual o primeiro passo?  Vamos lá, vale a pena!!!!

Continua a carregar

Uma fábula do Zen budismo que se aplica ao nosso dia a dia

monge1Dois monges se preparavam para atravessar um rio, conhecido como o Rio da Discórdia, antes de subirem uma montanha, chamada de Montanha da Fé.

Um deles era novo e o outro velho.

Ao chegarem às margens do rio, os religiosos ficaram ao lado de uma moça muito bem vestida, que também queria chegar ao outro lado do rio, mas com um detalhe: sem se molhar!

Com um olhar, ela pediu ajuda ao monge mais novo.

Este desviou o olhar e seguiu pelo rio.

A mulher arrumou os cabelos, se abanou com um leque e dirigiu o seu pedido de ajuda com um profundo olhar para o monge mais velho.

Este não teve dúvida: pôs a moça nos ombros e atravessou o rio, carregando-a.

Do outro lado, satisfeita e seca, ela agradeceu o velho e olhou o mais novo com desdém.

Esse monge mais jovem olhou com indignação e raiva para o mais velho! O monge retribui aos dois com um olhar de compaixão e tranquila alegria.

Nem é preciso dizer que aquilo irritou ainda mais o mais novo!monge2

Os monges continuaram seu caminho rumo a Montanha da Fé. O novo carregava um semblante pesado e carrancudo e o velho levava com ele sua expressão de leveza e serenidade.

De acordo com as regras de sua fé, os monges não deveriam tocar as mulheres. Caminharam por horas, mas o monge mais novo ainda estava perplexo com a atitude do mais velho. Quando chegaram ao pé da montanha da fé, o jovem não agüentou mais e expressou seus pensamentos em voz alta:

– Você sabe muito bem que os monges não devem tocar as mulheres! Por que carregou aquela moça pelo rio?

– O mais velho olhou o mais novo com um semblante de alegria e desprendimento. Apenas respondeu: “Naquele momento, julguei que ajudar um outro ser humano sem julgá-lo fosse mais importante do que não tocá-lo. No entanto, eu larguei a jovem três horas atrás e a deixei às margens do rio. Por que você continua carregando a moça?”

O que você continua carregando que ficou lá atrás, no rio do passado?

Referências:

Contos Budistas recontados por Sherab Chödzin e Alexandra Kohn – trad. Monica Stahel – Martins Fontes, São Paulo, 2003
Ilustrações: Marie Cameron (in Contos Budistas – Sherab Chödzin e Alexandra Kohn – trad. Monica Stahel – Martins Fontes p. 24 e 25)