Reunião do dia 25 junho 2013

Fiquei muito feliz com a presença e participação de todos vocês ontem, foi uma excelente reunião.

Vimos que muitas vezes nos desvalorizamos, nos autosabotamos, e nosso diálogo interior nos prejudica ao invés de auxiliar. 

Acabamos o capitulo 2 que trata sobre o poder de decisão.

Segue abaixo o resumo do que foi debatido, o conteudo final do capítulo 2 do livro Desperte seu gigante interior de Anthony Robbins  com o tema – O Caminho do Poder – Decisão

Grupo de estudosreunião 4 cap2

Nesse pdf existe um slide com um pequeno exercício sobre tomadas de decisões que sugiram que façam.

Vamos colocar em uso todo aprendizado.

Fica combinado que será lido EM CASA o capítulo 3

ATENÇÃO – Próxima reunião – dia 16/06/2013 , pontualmente às 20h00
Saude e sucesso

Situação de crise

Algumas vezes na vida, somos colocados numa circunstância de urgência que pode reduzir em muito nosso ritmo de vida em função de cuidar de uma situação ou de uma pessoa querida.

criseSurgem nesse momento, muitas emoções conflitantes, uma certa exaustão física e emocional, e a necessidade de aflorar todos seus recursos internos para tomadas de decisão.
Faz-se necessário assumir a responsabilidade pelas decisões em relação à nossa vida pessoal e respeitar as decisões e escolhas das pessoas ao redor e principalmente daquele que se encontra na situação emergencial . Ao delegar essa responsabilidade a outros, não terá controle sobre as consequências e poderá se arrepender muito depois.

Em situações assim, as ferramentas de programação neurolinguística e a linguagem ercksoniana são de grande auxílio.

Gosto muito de recorrer aos ensinamentos de Anthony Robbins. Em seu livro Desperte o Gigante Interior ele coloca muito claramente que podemos Dominar o poder de decisão. Lembra que o poder de decisão é algo que podemos usar a qualquer momento e que uma decisão verdadeira sempre levará a uma ação imediata e a um comprometimento verdadeiro. Quanto mais tomamos decisões, melhor elas serão. Ás vezes podemos errar, por melhor que seja a intenção, mas é melhor errar do que não tentar solucionar a questão. Se algo der errado, em vez de se punir, aprenda algo.

Quando uma decisão é tomada, não fique preso aos detalhes da execução, foque no que quer e seja flexível nos caminhos que encontrará para atingir. Tenha consciência de que uma decisão poderá mudar o rumo de sua vida e de que toda uma série de circunstâncias surgirá quando uma decisão for tomada.

Eu complemento com “siga seu coração”. Tempere tudo com muito amor.
Procure colocar-se verdadeiramente na posição das outras pessoas envolvidas para que desenvolva uma percepção interna do que é prioritário.  Pense positivo, pense no quer que aconteça de BOM e aja!
Nós não somos seres aleatórios, tudo o que fazemos ou se deve à nossa necessidade de evitar dor ou ao nosso desejo de obter prazer. Cada dia de nossas vidas é cheio dessas negociações psíquicas. Podemos aprender a cuidar melhor de nossas emoções e a controlar nossos recursos internos para uma atuação melhor na vida.

Se você se encontra numa situação de crise, “olhe de cima”, pensando em sua vida como um todo! O que é mais importante nesse momento? Pode ser estar com sua família, ou com seu ente querido, acolhê-lo amorosamente atendendo aos seus desejos e assumindo a responsabilidade pelas consequências que advirão de todas as decisões tomadas, individualmente ou em conjunto.

Não se sinta culpado em abandonar outras prioridades nesse momento.
Crises são temporárias, depois você poderá retomar o rumo com mais força do que antes.

Reflita o que você quer pensar quando tudo isso passar?
Qual o legado a ser deixado? Qual o aprendizado adquirido?
Qual o sentimento que irá querer ter a respeito ?

Para finalizar, quero deixar uma frase que meu amigo Aldo Novak publicou hoje:

“Quando a situação está difícil, faça algo. Não importa se as probabilidades são extremamente baixas. Não importa se os caminhos parecem completamente fechados. Não importa se você não sabe como irá terminar “a viagem”. Apenas faça algo.”

Como tomar decisões?

Tomar decisões é sempre um assunto bastante complexo, por que envolve fatores reais, emocionais, e até mesmo intuicionais.

Nem sempre temos o controle sobre todas as consequências das decisões, e por isso, é importante realizar uma avaliação cuidadosa.

Pesquisas sobre tomada de decisão indicam que  pessoas, em diferentes campos da vida, tem a propensão de cometer os mesmos erros na hora de tomar uma decisão:

  1. tomar decis~Precipitar-se – tomar uma decisão sem ter todas as informações a respeito da situação, e sem aprofundar a questão
  2. Não observar outras opções de solução – ficar preso a um estrutura mental  criada em situações semelhantes anteriores , cria uma cegueira que impede de avaliar novas possiblidades de ação.
  3. Falta de controle – se deixar levar pela opinião de outros ou não definir corretamente o problema sobre o qual a decisão reside.
  4. Excesso de confiança em seu julgamento – já pressupõe que a melhor solução é aquela sem colher informações factuais importantes.
  5. Usar de regras práticas – como por exemplo, decidir baseado nos fatos que lhe convém
  6. Improvisar – acreditar que tem em mente todas as informações, ao invéz de confirmar se essas informações ainda são válidas
  7. Cuidado com equipes – afinal tantas pessoas inteligentes juntas, provavelmente tomarão a melhor decisão automaticamente – Cuidado!!!!
  8. Não fazer Feedback real – distorcer a visão sobre o feedback para não ter que encarar a realidade
  9. Não acompanhar os resultados e sucessos de decisões anteriores
  10. Nunca avaliar como foi que tomou suas próprias decisões, qual o método mais utilizado na hora de decidir.

Fique atento aos perigos acima citados.

Para muitas decisões, estando de posse das informações necessárias a respeito do assunto e de, pelo menos, duas  opções de solução , a utilização do exercício abaixo pode auxiliar muito a decidir:

Para cada opção, responda por escrito às seguintes perguntas:

Se eu fizer isso o que eu (ou minha empresa) ganho ?
Se eu não fizer isso o que eu ganho?
O que de melhor que pode acontecer?
O que de pior pode acontecer?

Depois compare as diferentes respostas para cada uma das opções.

Ficará  muito mais fácil optar pela decisão a ser tomada.