Páscoa, tempo de renascer!

Páscoa Tempo de Renascer, de Renovar, de Agradecer. Feliz Páscoa

cartaopascoa2013

Anúncios

A lição de renascer !

A borboleta

borboleta 3“Era uma vez uma borboleta que voava sobre um campo.
Chuviscava fino do céu e ela ficou com seu vestido colorido todo molhado.
suas asas tornaram-se pesadas e ela pousou entre os ramos, no chão do gramado.
Quase todo o pó de sol das suas asas foi lavado.
Ainda uma vez, ela tentou levantar vôo, mas foi em vão.
Arrastou-se até uma planta e cuidadosamente colocou debaixo das folhas alguns ovos bem pequeninos.

Suas fracas asas não podiam mais carregá-la, então, ela juntou-as calmamente e sonhou com flores e com o brilho do sol,, enquanto a chuva cada vez mais forte caía nos campos. Quando o vento frio da noite soprou o campo, a borboleta faleceu.

Os pequenos ovos foram colocados no coração da mãe terra.
Passado alguns dias o sol trouxe o calor e embaixo da terra foi aquecido.
Protegidas pela chuva brotaram folhas verdes bem finas.
A luz vital da borboleta se apagou, mas em cada ovo que foi posto, ardia uma centelha vital.
Passados alguns dias, choveu novamente e debaixo da fina pelinha, alguma coisa se movia..
Os raios do sol voltaram e brincaram por sobre as verdes folhas da planta.
Eles perceberam a pequenina vida escondida escondida e exclamaram:
– “Saia para fora, saia para fora!”
De dentro do ovo, alguma coisa impelia e esticava, pela fenda da pelinha.pascoaborboleta
Para fora veio uma lagartinha fina e um pouco amarelada e tão lisa como um fio de seda.
Ela se arrastou até uma folha verde que ficou sendo sua casa. Percebeu que a borda da folha era muito gostosa para devorar, e então, para lá inclinou sua pequena ponta.

Depois de alguns dias, ele já havia comido metade da folha.
O brilho do sol exclamou:
– Vá adiante, pelo verde mundo!
Então, a largatinha se arrastou de planta em planta. Nem toddas eram tão queridas. Apenas em uma ela se demorou mais tempo, aquela que se tornou seu primeiro jardim.

Depois de semanas a lagartinha se tornou uma grande agarta.
Cresceram longos cabelos em sua crista, sobre as costas de cor marrom escuro. Entre eles ardiam pontos avermelhados.

O verão chegou ao fim. Ventos outonais sopravam frio sobre a grama curta.
Então o raio de sol falou a ela:
– Procure um lugar calmo, uma pequena caminha!

borboleta2Entre as fendas das pedras ela enfiou-se, muito obediente,para a mãe terra ,
e segredou-lhe:
– Mãe terra, leve-me com você, o sol me expulsou do verde mundo.

A mãe terra falou das profundezas, consolando-a:
– Não fique triste, por ter perdido o verde do mundo: o raio de sol lhe aconselhou bem.
Fique comigo. Tire sua roupa velha e enrugada. Adormeça. Minhas filhas , as elfas,
querem tecer para você um lindo sonho.

Estranhamente, quando a lagarta despiu sua roupa e se acalmou. Sua pele tornou-se tão dura como a madeira.
Ela se sentiu sufocada e gritou à Mãe Terra:
– Ajude-me, eu tenho que morrer!
Mas nada conseguiu falar por que caiu num profundo sono de morte.
Sua pele tornou-se um pequeno túmulo.

Quando os flocos de neve cobriram a terra,  as estrelas reluziram na noite celeste, aconteceu um milagre!
Pelas mãos celestes os delicados elfos teceram um vestido celestial no calmo e pequeno túmulo; eles teceram com o brilho das estrelas e com as cores do arco-íris.
Chegou a primavera! Com a força do sol a neve derreteu e as profundezas da terra ficaram aquecidas. Nos campos, as flores começaram a se abrir em meio à luz.
Quando as cores luminosas brilharam sobre os campos, o pequeno túmulo de inverno da lagarta desprendeu-se e caiu ao chão.

Onde havia falecido a lagarta, despertou uma borboleta.
Enfiada numa pequena abertura entre a terra e a pedra, ela se movimentou em direção à luz. E neste momento, as flores e o mundo iluminado lhe cantou:

– Venha a nós; venha a nós! Cantaram assim, por que certa vez as flores tinham implorado ao sol;
– Ó sol, deixe-nos até você voar para um jardim celeste coroar!

Os raios de sol responderam:
– eu tenho que vagar por mares e terras, esperem um pequeno tempo,então virá minha filha voando até vocês! Elas sabem as melhores estórias das estrelas e do arco-íris.

Então calmamente a borboleta voou das pedras para as flores e desde este dia, tornou-se sua irmã mais querida.”
Jacob Streit com  tradução de Elizabeth Costa Grande

 

Era uma vez um homem que se diferenciou entre os seus

reerguer“Era uma vez um homem que se diferenciou entre os seus, suas palavras trouxeram uma revolução tão grande que até os dias de hoje vemos sua repercussão em nossa vida e na sociedade. Esse homem foi perseguido, preso e morto por algo que acreditava, depois ressuscitou para provar aquilo que pregava. Essa história, apesar de conhecida e comemorada todos os anos pode ser aplicada no nosso dia a dia, pois a todo o momento somos provados, testados, perseguidos e as vezes ‘mortos’, mas são poucos os que tem a força de se reerguer e conseguir uma verdadeira ressurreição pessoal ou profissional, pense nisso, não é hora de ressuscitar? ” (Luis Alves, histórias de páscoa)

Esperança

Nesse final de ano , coloco aqui mais um poema de Mario Quintana : Esperança

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…

O que precisa morrer, para algo novo nascer?

Independente de conceito religioso, essa é uma excelente época para refletir sobre morte e renovação.

A natureza está sempre alternando entre essas duas forças.
A todo momento, células antigas morrem e novas nascem em seu lugar.

Nosso corpo, sempre que possível, procura a renovação, o equilíbrio, a cura.

Devemos aprender a fazer essa renovação, conscientemente em nossos pensamentos, sentimentos e ações.

Quais são os pensamentos que devemos deixar morrer, quais os novos pensamentos que devemos ter para uma vida melhor?

E quanto aos sentimentos e emoções, quais os que nos fazem mal, que nos atormenta e que devemos conscientemente dizer: “Essa emoção não serve para a vida que quero e mereço ter.
Quero e vou ter apenas sentimentos de paz, felicidade, prosperidade, saúde, segurança,…..

Vou buscar ferramentas e recursos que me apoiem nessa mudança que quero realizar”

E quanto às ações. Parece impossível, mas é verdade.
Volta e meia, sem pensar, tomamos atitudes que nos prejudicam,
e que desencadeiam uma sucessão de contratempos.

E quando nos sabotamos então!!!, queremos agir numa direção e agimos em outra!!!
Ou pior, ficamos ali, parados, sem ação, anestesiados, sem fazer algo que nos faça sentir bem e feliz!
Caimos na desculpite!!! Na preguiça!!! Na procrastinação!!!

Tudo isso, com certeza, deve morrer e dar espaço à motivação, à disciplina, ao prazer que se sente ao realizar ações que contribuem para nossa realização e prosperidade como um todo.

Quais as ações que você quer conscientemente eliminar na sua vida?

Quais as ações que você sabe que precisa realizar e anda protelando?

Faça uma lista de tudo que você quer deixar morrer e ao lado, tudo que você quer que nasça em sua vida, tanto pensamentos, quanto sentimentos  e ações e escolha agir nesse sentido.

Boa Páscoa a todos, muita renovação e luz a todos.