As borboletas transparentes

Para essa época  de reflexão e renascimento, deixo uma pequena história do livro “Histórias, reflexões e metáforas” de Jairo Mancilha e José  Carlos Reyes

pascoa22014“No princípio todas as borboletas eram transparentes.

Moravam em um território agreste, sem cor e sem a oportunidade de diferenciarem-se umas das outras. Também não conheciam o sentido da beleza. Muitas delas permaneciam inertes, deitadas sobre as  pedras, esperando que o vento lhes trouxesse algum alimento.

De repente, um dia, um raio de sol conseguiu atravessar as nuvens, deixando entrever o cume das montanhas. Muitas das borboletas, pela primeira vez, divisaram o portal de arco-iris que se erguia sobre o pico mais alto e também pela primeira vez sentiram a necessidade de  chegar até o Criador, imaginando que ele morava atrás do arco-íris.

Então, levantaram vôo.

Fortificando suas asas, muitas delas chegaram ao alto da montanha, onde conheceram a beleza da natureza, escutaram belas melodias, o canto das aves, o refrescante som das cachoeiras e se sentiram atraídas pelo aroma das flores.pascoa2014

Ao chegar à noite preferiram pousar entre as pétalas misturando-se com o pólen e dormiram satisfeitas.

Ao amanhecer, sentiram uma sutil umidade. Era o carvalho da madrugada e, assim, cada uma adquiriu a cor da flor aonde havia pousado.

Com as asas fortalecidas e gratas à vida, transportaram o pólen criando novos jardins em outros horizontes.”

José Carlos Reyes

 

Páscoa, tempo de renascer!

Páscoa Tempo de Renascer, de Renovar, de Agradecer. Feliz Páscoa

cartaopascoa2013

Você não sabe quando !

Você não sabe quando uma pequena e persistente ação se tornará grande! até enorme!

Se você quer fazer algo,, por menor que seja, simplesmente comece, bem ou mal, perfeito ou não, profissional ou amador, a aprendizagem vem com o tempo.

Se uma iniciativa está em sua mente é por que vocè pode realizar.
Você pode contagiar. Quando você faz algo que alimenta as almas das pessoas, isso se torna um virus do bem, e pessoas que se sintonizam com isso, vem te ajudar.

Por isso, comece e persista 🙂

Veja um exemplo disso aqui  enviado por minha amiga Ingrid que mora na Alemanha:

Durante 40 anos, um casal instalado em Saalfeld Alemanha decora árvore de ovos pintados à mão durante a Páscoa. No primeiro ano, a árvore era apenas 18 ovos, mas eles se superam a cada vez, fazendo alguns ovos mais. Esta Primavera são 10 mil ovos de Páscoa a decoração da árvore. Mas o casal prometeu que não vai fazer mais ovos.  Atualmente, eles demoram mais de duas semanas para instalar todos os ovos que encantam turistas de toda a Alemanha. Créditos das fotos: Jens Meyer / AP / SIPA / Jens Meyer / AP / SIPA

Germany Easter Egg Tree

A lição de renascer !

A borboleta

borboleta 3“Era uma vez uma borboleta que voava sobre um campo.
Chuviscava fino do céu e ela ficou com seu vestido colorido todo molhado.
suas asas tornaram-se pesadas e ela pousou entre os ramos, no chão do gramado.
Quase todo o pó de sol das suas asas foi lavado.
Ainda uma vez, ela tentou levantar vôo, mas foi em vão.
Arrastou-se até uma planta e cuidadosamente colocou debaixo das folhas alguns ovos bem pequeninos.

Suas fracas asas não podiam mais carregá-la, então, ela juntou-as calmamente e sonhou com flores e com o brilho do sol,, enquanto a chuva cada vez mais forte caía nos campos. Quando o vento frio da noite soprou o campo, a borboleta faleceu.

Os pequenos ovos foram colocados no coração da mãe terra.
Passado alguns dias o sol trouxe o calor e embaixo da terra foi aquecido.
Protegidas pela chuva brotaram folhas verdes bem finas.
A luz vital da borboleta se apagou, mas em cada ovo que foi posto, ardia uma centelha vital.
Passados alguns dias, choveu novamente e debaixo da fina pelinha, alguma coisa se movia..
Os raios do sol voltaram e brincaram por sobre as verdes folhas da planta.
Eles perceberam a pequenina vida escondida escondida e exclamaram:
– “Saia para fora, saia para fora!”
De dentro do ovo, alguma coisa impelia e esticava, pela fenda da pelinha.pascoaborboleta
Para fora veio uma lagartinha fina e um pouco amarelada e tão lisa como um fio de seda.
Ela se arrastou até uma folha verde que ficou sendo sua casa. Percebeu que a borda da folha era muito gostosa para devorar, e então, para lá inclinou sua pequena ponta.

Depois de alguns dias, ele já havia comido metade da folha.
O brilho do sol exclamou:
– Vá adiante, pelo verde mundo!
Então, a largatinha se arrastou de planta em planta. Nem toddas eram tão queridas. Apenas em uma ela se demorou mais tempo, aquela que se tornou seu primeiro jardim.

Depois de semanas a lagartinha se tornou uma grande agarta.
Cresceram longos cabelos em sua crista, sobre as costas de cor marrom escuro. Entre eles ardiam pontos avermelhados.

O verão chegou ao fim. Ventos outonais sopravam frio sobre a grama curta.
Então o raio de sol falou a ela:
– Procure um lugar calmo, uma pequena caminha!

borboleta2Entre as fendas das pedras ela enfiou-se, muito obediente,para a mãe terra ,
e segredou-lhe:
– Mãe terra, leve-me com você, o sol me expulsou do verde mundo.

A mãe terra falou das profundezas, consolando-a:
– Não fique triste, por ter perdido o verde do mundo: o raio de sol lhe aconselhou bem.
Fique comigo. Tire sua roupa velha e enrugada. Adormeça. Minhas filhas , as elfas,
querem tecer para você um lindo sonho.

Estranhamente, quando a lagarta despiu sua roupa e se acalmou. Sua pele tornou-se tão dura como a madeira.
Ela se sentiu sufocada e gritou à Mãe Terra:
– Ajude-me, eu tenho que morrer!
Mas nada conseguiu falar por que caiu num profundo sono de morte.
Sua pele tornou-se um pequeno túmulo.

Quando os flocos de neve cobriram a terra,  as estrelas reluziram na noite celeste, aconteceu um milagre!
Pelas mãos celestes os delicados elfos teceram um vestido celestial no calmo e pequeno túmulo; eles teceram com o brilho das estrelas e com as cores do arco-íris.
Chegou a primavera! Com a força do sol a neve derreteu e as profundezas da terra ficaram aquecidas. Nos campos, as flores começaram a se abrir em meio à luz.
Quando as cores luminosas brilharam sobre os campos, o pequeno túmulo de inverno da lagarta desprendeu-se e caiu ao chão.

Onde havia falecido a lagarta, despertou uma borboleta.
Enfiada numa pequena abertura entre a terra e a pedra, ela se movimentou em direção à luz. E neste momento, as flores e o mundo iluminado lhe cantou:

– Venha a nós; venha a nós! Cantaram assim, por que certa vez as flores tinham implorado ao sol;
– Ó sol, deixe-nos até você voar para um jardim celeste coroar!

Os raios de sol responderam:
– eu tenho que vagar por mares e terras, esperem um pequeno tempo,então virá minha filha voando até vocês! Elas sabem as melhores estórias das estrelas e do arco-íris.

Então calmamente a borboleta voou das pedras para as flores e desde este dia, tornou-se sua irmã mais querida.”
Jacob Streit com  tradução de Elizabeth Costa Grande

 

Era uma vez um homem que se diferenciou entre os seus

reerguer“Era uma vez um homem que se diferenciou entre os seus, suas palavras trouxeram uma revolução tão grande que até os dias de hoje vemos sua repercussão em nossa vida e na sociedade. Esse homem foi perseguido, preso e morto por algo que acreditava, depois ressuscitou para provar aquilo que pregava. Essa história, apesar de conhecida e comemorada todos os anos pode ser aplicada no nosso dia a dia, pois a todo o momento somos provados, testados, perseguidos e as vezes ‘mortos’, mas são poucos os que tem a força de se reerguer e conseguir uma verdadeira ressurreição pessoal ou profissional, pense nisso, não é hora de ressuscitar? ” (Luis Alves, histórias de páscoa)