Tomar seu espaço na cidade

IMG_20140518_143552Vejo muitas pessoas que ficam “trancadas” em seus edificios altamente protegidos e quando saem vão apenas a shoppinigs e locais igualmente protegidos.

A questão aqui é que assim procedendo estamos entregando o espaço da cidade a marginais e ao descontrole.

Ontem fui a virada cultural no centro e pude verificar que , quando pessoas de bem, trabalhadores que constroem esse pais decidem tomar as ruas, isso pode ser feito.
Vi também que a prefeitura foi capaz de proporcionar limpeza, organização e segurança aos participantes.

O mesmo ocorrerá no final de semana que vem na festa do brooklin.

Se pessoas do bem, tomarem as ruas, caminharem a pé, de bicicleta, fizerem feirinhas, IMG_20140518_141142
quermesses, picnics em grandes grupos, eventos esportivos, beneficentes, culturais,religiosos,  movimentos pelo que acreditam, ,…. ficará claro a quem pertence a cidade.

Se voce for um lider, promova um evento, se não , participe dos eventos promovidos.

Viva a sua cidade!!!!! Não permita que outros tomem conta dela!!! Exerça sua cidadania!

A raiva!!

Quando percebemos que podemos desenvolver um ajuste nos nossos pensamentos e sentimentos, a vida toda se transforma.  Vemos como, na realidade, éramos nós, através desses pensamentos e sentimentos que nos estávamos massacrando, e não a realidade externa. Muitas vezes, um pequeno evento que ocorre pela manhã, pode nos fazer ficar sentindo raiva e ter pensamentos ruins o dia todo. Mas, o evento ja foi, nem existe mais, e pode ter sido pontual, resultado do sentimento momentâneo de outra pessoa.

Nesse sentido, deixo aqui uma linda frase de Buda a esse respeito.

Você anda muito preocupado?

Você anda muito preocupado? Pensa tanto que parece que a cabeça vai explodir?

Você acredita:

Que se preocupando com os problemas irá encontrar a saída para eles?
Que todos os problemas podem ser solucionados por você?
Que tem total controle sobre a situação?
Que  tem todas as informações que necessita para tomar a melhor decisão?
Que, se relaxar, será punido por não ter se dedicado ou por não estar fazendo nada?

Mas quem falou que se preocupar traz a solução dos problemas?
Quem disse que se voce estiver estressado, irritado e cansado, é que estará fazendo a sua parte?
Já está mais do que provado por pesquisas que as melhores idéias e soluções ocorrem quando você:

1. Está relaxado e tranquilo –
Por isso encontre algo que te faça relaxar quase de imediato, um video, uma música, caminhar , meditar, cantarolar, jogar video game, um banho, …. Procure  desligar seu pensar racional um pouco. Requer treino, mas daqui a pouco você verá como valeu a pena.

2. Foca na busca da solução e não no problema em si –
Por exemplo: pare de pensar nas dívidas e comece a pensar – como posso aumentar minha renda? O que posso aprender com essa situação para evitar que ela ocorra novamente?

3. Seleciona com clareza, o que realmente é importante e demanda sua atenção e o que é apenas temor infundado que tem sido criado.  E também , o que é urgente e o que você pode deixar para se ocupar mais para frente.
Lide com o agora, com o que está acontecendo NESSE MOMENTO e não com o que pode ou não acontecer, experimente deixar seus temores de lado, apenas experimente!
Se além de todos os problemas, você fica pensando que pode ser assaltado, que pode perder o emprego, que pode pegar transito, que pode chegar atrasado, que pode……… Tenta não pensar nisso, se distraia, quando uma idéia dessas vier a sua mente.
Não temos controle sobre esses fatos da vida, mas temos controle sobre o que pensamos e atraimos para nossa vida. 

4. Analisa e separa os problemas entre:
– Os que a solução está unicamente na sua mão,
– Os que  a solução não depende só de você, e ….
– Os que a solução absolutamente não está sobre o seu controle, ou é algo que não tem solução.
5. Focar nos problemas em que a solução está em seu poder, por que, na realidade, essas são as únicas atitudes que voce pode efetivamente tomar nesse momento.

O resto é apenas pre-ocupação, isto é ocupar sua mente com assuntos com os quais você não pode fazer nada a respeito, no momento.
Experimente, você pode controlar seu pensamento!

Terceirizando Responsabilidades – Você é feliz?

Um artigo publicado no jornal nos chamou a atenção, pelo tema enfocado. Tratava das desculpas que sempre damos para justificar a nossa infelicidade.

O articulista dizia que um amigo seu, depois de mais de uma década de casamento infeliz, separou-se e, após temporária euforia, caiu em profunda tristeza.

Curioso, perguntou-lhe: “qual a razão para tanto sofrimento?”.

E seu amigo respondeu: “aquela maldita está me fazendo uma grande falta, pois agora já não tenho a quem culpar pela minha infelicidade”.

O curioso é que muitas vezes nós também agimos de maneira semelhante, pois sempre estamos à procura de alguém a quem responsabilizar pela nossa infelicidade.

E isso é resultado do atavismo que trazemos embutido na nossa forma de pensar e agir.

Quando somos jovens ouvimos nossos pais e amigos dizerem que um dia encontraremos alguém que nos faça feliz.

Então acreditamos que esse alguém tem a missão de nos trazer a felicidade. E passamos a aguardar que chegue logo para fazer o milagre.

Mas, antes disso, quando ainda somos criança, nossos pais acham sempre algo ou alguém a quem culpar pelo nosso sofrimento.

Se nos descuidamos e tropeçamos numa pedra, a culpa foi da pedra, que não saiu da nossa frente.

Se brigamos com o amiguinho, foi ele que nos provocou. Se tiramos nota baixa na escola, a culpa é do professor que não soube nos ensinar.

E é assim que vamos terceirizando nossos problemas e nossa felicidade. E, por conseguinte, as responsabilidades e as soluções.

Se sinto ciúmes, é porque a pessoa com quem me relaciono não permite que eu dirija a sua vida. Embora devesse admitir que é porque não sinto confiança em mim.

Se a inveja me consome, a culpa é de quem se sobressai, de quem estuda mais do que eu, de quem avança e não me dá satisfação dos seus atos.

Se alguém do meu relacionamento tem mais amizades e recebe mais afeto do que eu, fico inventando fofocas para destruir as relações, em vez de conquistar, com sinceridade e dedicação, o afeto que desejo.

Se uma amiga, ou amigo, faz regime e emagrece, e eu não consigo, fico infeliz por isso.

Se tenho problemas de saúde e não melhoro, a culpa é do médico, afinal eu o pago para me curar e ele não cumpre o seu dever…, ainda que eu não siga as suas orientações.

Se não consigo um bom emprego é porque ninguém me valoriza, e às vezes esqueço de que há muito tempo não invisto na melhoria de minha qualidade profissional.

Pensando assim, nós nos colocamos na posição de vítimas, julgando que só não somos felizes por causa dos outros. Afinal, ninguém sabe nos fazer feliz…

Importante pensar com maturidade a esse respeito, pois somente admitindo que somos senhores da nossa vida e do nosso destino, deixaremos de encontrar desculpas, e faremos a nossa parte.

Se seus relacionamentos estão enfermos, analise o que você tem oferecido aos outros. De que maneira os tem tratado. Que atenção tem lhes dado.

Considere sempre que você pode ser o problema. Analise-se. Observe-se. Ouça a sua voz quando fala com os outros.

Sinta o teor de suas palavras. Preste atenção quando fala de alguém ausente.

Depois dessas observações, pergunte-se, sinceramente, se você tem problemas ou se é o próprio problema.

Não tenha medo da resposta, afinal você não deseja ser feliz?

Então não há outro jeito, a não ser enfrentar a realidade…

A felicidade é construção diária e depende do que consideramos o que seja ser feliz.

Se admitimos que a felicidade é uma forma de viver, basta aprender a arte de bem-viver.

E bem viver é buscar a solução dos problemas, sem terceirização…

É assumir a responsabilidade pelos próprios atos.

É admitir que a única pessoa capaz de lhe fazer feliz, está bem perto…

Para vê-la é só chegar em frente ao espelho, e dizer: “muito prazer pessoa capaz de me fazer feliz!”

Pense nisso, e vá em busca de sua real felicidade, sem ilusões e sem medo.

(autor desconhecido) Texto enviado por Rubens Gomes da Silva,
se alguém conhecer  a autoria, por favor, comunique.