Continua a carregar

Uma fábula do Zen budismo que se aplica ao nosso dia a dia

monge1Dois monges se preparavam para atravessar um rio, conhecido como o Rio da Discórdia, antes de subirem uma montanha, chamada de Montanha da Fé.

Um deles era novo e o outro velho.

Ao chegarem às margens do rio, os religiosos ficaram ao lado de uma moça muito bem vestida, que também queria chegar ao outro lado do rio, mas com um detalhe: sem se molhar!

Com um olhar, ela pediu ajuda ao monge mais novo.

Este desviou o olhar e seguiu pelo rio.

A mulher arrumou os cabelos, se abanou com um leque e dirigiu o seu pedido de ajuda com um profundo olhar para o monge mais velho.

Este não teve dúvida: pôs a moça nos ombros e atravessou o rio, carregando-a.

Do outro lado, satisfeita e seca, ela agradeceu o velho e olhou o mais novo com desdém.

Esse monge mais jovem olhou com indignação e raiva para o mais velho! O monge retribui aos dois com um olhar de compaixão e tranquila alegria.

Nem é preciso dizer que aquilo irritou ainda mais o mais novo!monge2

Os monges continuaram seu caminho rumo a Montanha da Fé. O novo carregava um semblante pesado e carrancudo e o velho levava com ele sua expressão de leveza e serenidade.

De acordo com as regras de sua fé, os monges não deveriam tocar as mulheres. Caminharam por horas, mas o monge mais novo ainda estava perplexo com a atitude do mais velho. Quando chegaram ao pé da montanha da fé, o jovem não agüentou mais e expressou seus pensamentos em voz alta:

– Você sabe muito bem que os monges não devem tocar as mulheres! Por que carregou aquela moça pelo rio?

– O mais velho olhou o mais novo com um semblante de alegria e desprendimento. Apenas respondeu: “Naquele momento, julguei que ajudar um outro ser humano sem julgá-lo fosse mais importante do que não tocá-lo. No entanto, eu larguei a jovem três horas atrás e a deixei às margens do rio. Por que você continua carregando a moça?”

O que você continua carregando que ficou lá atrás, no rio do passado?

Referências:

Contos Budistas recontados por Sherab Chödzin e Alexandra Kohn – trad. Monica Stahel – Martins Fontes, São Paulo, 2003
Ilustrações: Marie Cameron (in Contos Budistas – Sherab Chödzin e Alexandra Kohn – trad. Monica Stahel – Martins Fontes p. 24 e 25)

Anúncios

Momento atual e novo ano novo

criar solução

Você não está enxergando  saídas para seu momento atual?
Venha conversar comigo, e você irá a criá-las!
O coaching é o mais efetivo processo de desenvolvimento pessoal e profissional da atualidade. É positivo, dinâmico, sinérgico e voltado para pessoas inteligentes que buscam realizações para sua vida. Sim, você pode criar uma solução !!!!

 

 

WORKSHOP  “Como ter um ano realmente novo”

E para que seu ano novo seja realmente novo, venha para esse imperdível workshop com um preço tentador. Como você irá se sentir se perder essa incrível oportunidade.

Um sábado transfomador, lbertador !!!!

Inclui material e coffe break.   paypal_botao-1

como ter um ano

 

Estamos no meio do ano

brainstorm1Esse ano está meio estranho.
Tem um ritmo duo, uma hora estamos esperando para ver como é que fica e outra hora trabalhando duro como nunca trabalhamos.

Expectativa e determinação são a tônica aqui.

Já estamos no meio do ano.

O quanto esse ano já te ensinou sobre suas buscas e metas?

O que você aprende quando o jogo externo influencia sua vida?

Como você mantém a perspectiva e o foco para o que você quer realizar?

O que você tem feito de diferente para criar novas oportunidades neste momento?

E principalmente, o quanto você tem ido na direção do que é realmente importante para sua vida?

Momentos de superação são ótimos, nos fazem crescer, buscar novos conhecimentos, parcerias, apoios. Nos tornam criativos, e nos coloca em maior atividade. Use sua criatividade. Procure por novas idéias.

Mude o que for necessário mudar. Sem apegos, sem receios.brainstorming

Por isso, aja, agora. O que falta? Como você pode seguir em frente com suas metas?
O que de novo pode ser implantado?

Confie em você e em sua capacidade.

E lembre-se, foque nas soluções, foque no que você quer!!!!

 

Mente e corpo saudáveis agora

saude perfeitaTenho publicado aqui e no facebook, várias pesquisas onde fica claro que nossa mente, nossos pensamentos e emoções tem um influência direta no estado de saúde mental e física.

Livros de Cristina Cairo , Louise Hay e outros tantos autores nos trazem a conexão clara entre nossas emoções e a doença que se manifesta através delas.

A interatividade entre nossa mente e corpo é intensa, podemos reprogramá-l0s para renovarem-se, mantendo a juventude , a força, a saúde.

Segue abaixo uma reprogramação de 25 minutos para reprogramar seu corpo e mente a agirem harmonicamente, a se renovarem, a manterem a saúde. Ouça regularmente por um longo período.

Baixe aqui a reprogramação para uma mente e corpos saudáveis

Seguindo a lenda pessoal

Republico aqui artigo escrito por Paulo Coelho para a Academia Brasileira de Letras.

pessoal2Existe uma tendência a achar que quanto mais se trabalha, e se exige de si mesmo mais rápido encontraremos nosso sucesso e nossa felicidade. Eu pessoalmente não acredito nisso.  Muitas vezes o profissional está se exaurindo por algo que ele nem sequer acredita. Se desgasta e passa anos até perceber que apesar de ter alcançado um patamar alto profissional, não era nada disso o que queria ter feito com sua vida.

Apenas com autoconhecimento, autoestima, autorespeito somos capazes de encontrar o nosso caminho.

Esse texto de Paulo Coelho fala um pouco de um processo interno de descoberta.

“Quando Joseph Campbell, o mais conhecido estudioso de mitologia de nosso tempo (e autor, entre outros livros, do excelente O poder do mito) criou a expressão ´siga sua benção` ele estava refletindo uma ideia cujo momento parece ter chegado. Em O alquimista, esta mesma ideia está sob o nome de lenda pessoal.

Alan Cohen, um terapeuta que vive no Havaí, também trabalha sobre o tema. Ele conta que, nas suas conferências, pergunta quem está insatisfeito com o seu trabalho; 75% da audiência levanta a mão. Cohen criou um sistema de doze passos, para ajudar o reencontro com sua ´benção` (ele segue a escola de Campbell):

1) Diga a verdade para você mesmo: divida uma folha de papel em duas colunas, e escreva do lado esquerdo tudo que adoraria fazer. Depois, escreva do lado direito tudo que está fazendo sem entusiasmo. Escreva como se ninguém fosse ler o que está ali, não censure nem julgue suas respostas.

2) Comece devagar, mas comece: chame o agente de viagens, procure algo que se encaixe no seu orçamento; vá assistir ao filme que está adiando; compre o livro que desejava. Seja generoso com você mesmo, e verá que mesmo estes pequenos passos lhe farão sentir mais vivo.

3) Vá parando devagar, mas pare: há coisas que tiram por completo sua energia. Você precisa mesmo ir a tal reunião do comitê? Precisa ajudar quem não quer ser ajudado? Seu chefe tem o direito de exigir que, além do trabalho, você tenha que estar nas mesmas festas que ele? Ao parar de fazer o que não lhepessoalinteressa, vai notar que você estava se exigindo mais que os outros realmente pediam.

4) Descubra seus pequenos talentos: o que os amigos dizem que você faz bem? O que você faz com vontade, mesmo que não seja perfeito na sua execução? Estes pequenos talentos são mensagens escondidas de seus grandes talentos ocultos.

5) Comece a escolher: se algo lhe dá prazer, não hesite. Se você está em dúvida, feche os olhos, imagine que tomou a decisão A, e veja tudo que ela acarretará. Faça o mesmo com a decisão B. A decisão que lhe fizer sentir mais conectado com a vida, é a decisão certa – mesmo que não seja a mais fácil.

6) Não baseie suas decisões em ganhos financeiros: eles virão, se você realmente fizer algo com entusiasmo. O mesmo vaso, feito por um oleiro que adora o que faz, ou por um homem que detesta seu ofício, tem uma alma. Ele será rapidamente vendido (no primeiro caso) ou ficará encalhado (no segundo caso).

7) Siga sua intuição: o trabalho mais interessante é aquele que você se permite ser criativo. Eistein dizia: ´eu não cheguei à minha compreensão do Universo usando apenas a matemática`. Descartes, o pai da lógica, desenvolveu seu método baseado em um sonho que teve.

8) Não tenha medo de mudar de ideia: se você deixou uma decisão de lado, e ela o incomoda, repense o que escolheu. Não lute contra aquilo que lhe dá prazer.

9) Saiba descansar: um dia por semana sem pensar no trabalho, termina permitindo que o subconsciente o ajude, e muitos (mas não todos) problemas se solucionam sem ajuda da razão.

10) Deixe que as coisas mostrem o caminho mais alegre: se você está lutando demais por algo, e não tem resultados, seja mais flexível e se entregue aos caminhos que a vida mostra. Isso não significa renunciar a luta, ter preguiça, ou deixar as coisas nas mãos dos outros – significa entender que o trabalho com amor nos dá forças, jamais desespero.

11) Leia os sinais: é uma linguagem individual, unida a intuição, que aparece nos momentos certos. Mesmo que os sinais indiquem uma direção oposta àquela que você planejou, siga-os. Às vezes você vai errar, mas é a única maneira de aprender esta nova linguagem.

12) Finalmente, arrisque! Os homens que mudaram o mundo começaram seus caminhos através de um ato de fé. Acredite na força dos seus sonhos; Deus é justo, e não colocaria em seu coração um desejo impossível de ser realizado.”

Fontes: http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=11262&sid=772
 Diário de Pernambuco, 14/3/2011